Uber demite mais de 20 funcionários após denúncias de assédio

A empresa do aplicativo Uber demitiu mais de 20 pessoas depois de uma investigação interna que durou meses, sobre denúncias de assédio e discriminação. A informação foi divulgada por sites americanos, que explicaram que as demissões foram reveladas a funcionários durante uma reunião fechada realizada na terça-feira (6).

O aplicativo de viagens urbanas vem sendo criticado desde que, no início do ano, uma ex-funcionária chamada Susan Fowler fez um post num blog criticando duramente a maneira como as mulheres são tratadas na empresa. O texto dela deu início a duas investigações.

De acordo o site de notícias Bloomberg, mais demissões acontecerão. Uma empresa de advocacia está analisando nada menos que 215 casos de assédio dentro da multinacional. Todos os demitidos estavam envolvidos nessas denúncias.
Nos últimos meses, diferentes executivos do Uber pediram demissão, inclusive o chefe de engenharia, responsável pelo departamento em que trabalhava a autora do post. Ele foi criticado por não apurar as queixas sobre assédio no ambiente de trabalho.

Deixe um comentário

você pode gostar também Mais do autor