Dia Internacional da Mulher: desafios e propostas para atenção a saúde da mulher

No mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, nesta quinta-feira (8), a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) divulga um levantamento sobre os principais desafios de saúde relacionados ao público feminino.  De acordo com a secretaria, as doenças que mais acometem as mulheres em idade fértil no Rio Grande do Norte, e que podem levar a óbito, são as relacionadas ao aparelho circulatório, neoplasias, doenças infecciosas e parasitárias, doenças do aparelho respiratório, digestivo, complicações da gravidez, parto e puerpério.

De acordo com dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) no ano de 2016 ocorreram 1068 mortes de mulheres em idade fértil (MIF). Destas, lideram o ranking as causas externas por consequência de acidentes e agressões, câncer e doenças relacionadas ao aparelho circulatório. Já no ano de 2017 ocorreram 938 óbitos.

Para diminuir esses números, a Sesap tem desenvolvido junto aos municípios a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher, que junto a outras Secretarias de Estado (Segurança, Educação, Assistência Social e Mulheres) apoia os municípios com ações educativas, preventivas, de diagnóstico, tratamento e recuperação, englobando a assistência à mulher em clínica ginecológica, no pré-natal, parto e puerpério, menopausa, no planejamento sexual e reprodutivo, câncer de colo do útero e de mama, o acolhimento às mulheres vítimas de violência, entre outros.

Chama atenção dos setores de saúde atualmente, o aumento dos casos de sífilis, uma doença de fácil diagnóstico e tratamento acessível e disponível no SUS. Segundo dados do Programa IST/Aids da Sesap, de 2011 a 2017, 2.343 mulheres tiveram diagnóstico positivo para sífilis no estado. Apenas em 2017 foram 752 novos casos. Outro número que merece atenção são os casos de sífilis em gestantes, de 2007 a 2010 foram 2.282 notificações. O que impacta fortemente entre as mulheres, devido a transmissão da doença para a criança. A transmissão vertical da sífilis pode ser prevenida com o diagnóstico precoce na gravidez, além do tratamento em tempo hábil durante o pré-natal, parto e nascimento.

Nesse sentido, a Sesap tem investido continuamente em educação permanente para manejo clínico da sífilis e infecções sexualmente transmissíveis, junto a profissionais dos serviços estaduais e municipais de saúde, tem mantido em dia o abastecimento de preservativos e testes rápidos para diagnóstico de sífilis, HIV e hepatites junto as regiões de saúde. Esses insumos estão disponíveis à população nas unidades básicas de saúde e Serviços de Atenção Especializada do SUS.

Além das ações rotineiras, a Secretaria intensifica as atividades em eventos de grande circulação de pessoas, como o Dia Visibilidade Trans, Dia Internacional da Mulher, Carnatal, Mossoró Cidade Junina, Parada do Orgulho LGBT, além do dia 1º de dezembro, que é o Dia Mundial de Luta contra a Aids. No carnaval deste ano foram realizados 1355 testes rápidos de HIV e sífilis, com 1 resultado positivo para HIV e 8 para sífilis, também houve distribuição de 800 mil preservativos masculinos, 40 mil lubrificantes e 20 mil preservativos femininos, nas festas realizadas no período.

Prevenção

Para o mês dedicado a mulher. A Sesap reforça a importância da prevenção para os principais problemas e de como manter a saúde sempre em dia:

· Praticar regularmente exercícios físicos: as atividades físicas trazem uma série de benefícios para a saúde e podem reduzir o risco de doenças cardíacas, artrite e outras;

· Manter uma alimentação saudável: dietas ricas em frutas, legumes e verduras e menos alimentos gordurosos, enlatados e salgados;

· Evitar ou eliminar o consumo de cigarro e álcool: o uso excessivo de cigarro e álcool está relacionado a muitas doenças, como câncer;

· Procurar fazer os exames preventivos: realizar exames periódicos, tais como Papanicolau, Mamografia, controle glicêmico e lipídico, entre outros;

· Avaliar os riscos ocupacionais: alguns tipos de trabalho aumentam o risco de câncer pelo fato de exporem o trabalhador a fatores de risco, como substâncias químicas, fumo no ambiente de trabalho, radiação ionizante (RX), entre outros;

· Prevenir as Infecções Sexualmente Transmissíveis: uso do preservativo nas relações sexuais, além de outras medidas de prevenção combinada.

Deixe um comentário

você pode gostar também Mais do autor