Tite define seleção com Weverton e Thiago Silva para enfrentar Argentina

O técnico Tite já tem definida a seleção brasileira para o amistoso com a Argentina, nesta sexta-feira, em Melbourne. Ele decidiu dar mais uma oportunidade como titular ao goleiro Weverton e aproveitar o zagueiro Thiago Silva desde o início.

O time que vai começar a partida terá Weverton; Fagner, Thiago Silva, Gil e Filipe Luís; Fernandinho; Paulinho, Renato Augusto, Philippe Coutinho e Willian; Gabriel Jesus.

Apesar dos vários desfalques – alguns titulares não foram convocados para a partida contra os argentinos e também a do dia 13 contra a Austrália para que possam descansar -, Tite manteve várias peças-chave na equipe. São os casos dos meio-campistas Paulinho, Renato Augusto e Phillipe Coutinho, além do atacante Gabriel Jesus. O ex-palmeirense está retornando à seleção. Ele não participou das duas partidas das Eliminatórias disputadas em março, porque estava contundido.

Tite tem nos amistosos de Melbourne a oportunidade de testar alguns jogadores que tem chamado regularmente, mas que vem atuando pouco. Os dois laterais escalados contra a Argentina, Fagner e Filipe Luís estão nessa situação, bem como o zagueiro Gil e até o volante Fernandinho.

Já Willian, titular nas primeiras partidas da seleção sob o comando do treinador, ganha nova oportunidade com a ausência de Neymar. Por isso, nos treinamentos ele tem atuado mais pelo lado esquerdo, com Coutinho pela direita.

O goleiro Weverton também se encaixa no grupo dos que são convocados com frequência, mas atuam pouco. Este ano, ele foi titular no amistoso de janeiro com a Colômbia que teve renda revertida para as vítimas do acidente com o avião da Chapecoense. Assim, de certa forma, a partida diante dos argentinos é a primeira grande oportunidade do jogador do Atlético Paranaense.

Weverton não pretende desperdiçar a chance. “É fruto do meu trabalho, nada acontece por acaso. Tenho de me concentrar e estou preparado para fazer um grande jogo. Aliás, toda a seleção está preparada”, disse o jogador.

No entanto, Weverton não relaciona o fato de enfrentar um dos mais tradicionais e difíceis adversários da seleção brasileira com a possibilidade de ficar mais perto de uma convocação para a Copa da Rússia. “A gente não pode cravar, torço muito para que aconteça. Lembro o que aconteceu com o Prass na Olimpíada, eu cheguei na seleção aos 48 do segundo tempo. Não esperava estar lá e fui. Então, eu tenho de aproveitar o momento, cada oportunidade que o Tite me dá. Só assim a gente pode pensar em Copa.”
Na sexta-feira (9), ele terá pela frente não só Messi como outros bons jogadores argentinos, como Dybala e Di María. Mas não perde o sono. “Estou confiante no meu trabalho. A gente sabe da qualidade dele, mas não pode ser uma preocupação. Eles têm de se preocupar também com os jogadores que nós temos”, disse Weverton.

Deixe um comentário

você pode gostar também Mais do autor