PF apura se reforma da casa de filha de Temer foi lavagem de dinheiro

presidente Michel Temer pode ter lavado dinheiro de propina com pagamento de reformas em casas de familiares, de acordo com investigação da Polícia Federal. O dinheiro seria proveniente da JBS e de uma empresa contratada pela Engevix. De acordo com informações da Folha de S. Paulo, a primeira-dama Marcela Temer e o filho do casal são donos de alguns dos imóveis investigados.

Também é alvo da suspeita a casa da filha do presidente, Maristela Temer. A reforma da casa dela teria sido paga pelo ex-coronel da Polícia Militar João Batista Lima Filho, preso na Operação Skala. Citado na delação da JBS, o militar reformado teria recebido R$ 1 milhão em nome de Temer. De acordo com o blog de Andreia Sadi, do G1, ela deve prestar depoimento à PF na próxima quarta-feira (2), no Aeroporto de Congonhas.

Aécio Neves presta depoimento de três horas à Polícia Federal

Procurado pelo blog da Andreia Sadi, do G1, o advogado de Maristela, Fernando Castelo Branco, afirma que a filha de Temer ainda não recebeu intimação. No entanto, a defesa garante que ela prestará “todos os esclarecimentos”.

Já a defesa do coronel Lima afirmou que seu cliente “nega veementemente qualquer irregularidade em sua conduta e participação em atos ilícitos”, em declarações à Folha.

O advogado de Temer, Brian Alves Prado, afirmou que “valores transacionados a partir de doações, aquisições de imóveis ou investimentos, são absolutamente compatíveis com seus rendimentos declarados à Receita Federal” e que “os tributos e taxas sempre foram devidamente recolhidos ao erário”.

Deixe um comentário

você pode gostar também Mais do autor