MPRN intervém e Prefeitura de Parnamirim suspende vacinação de profissionais de Educação Física e outras categorias não prioritárias

Mulher segura frasco rotulado como de vacina para Covid-19 em foto de ilustração 10/04/2020 REUTERS/Dado Ruvic
- publicidade -

Assim que recebeu a informação de que profissionais de Educação Física e outras categorias que não fazem parte do grupo prioritário do Plano Nacional de Imunização estavam recebendo em Parnamirim a vacina da Covid-19, o Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), por meio da Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde de Parnamirim, fez uma intervenção junto à Secretaria Municipal de Saúde daquele Município e suspendeu a vacinação nesta sexta-feira (29). A Prefeitura de Parnamirim assegurou que na próxima segunda-feira (1º/2) iniciará a vacinação dos idosos acamados acima de 75 anos. A vacinação começou quando a Prefeitura de Parnamirim divulgou a informação de que estaria ampliando a oferta de vacina para contemplar “os trabalhadores dos serviços de saúde que atuem em espaços e estabelecimentos de assistência e vigilância em saúde, sejam eles hospitais, clínicas, ambulatórios, laboratórios e outros locais, compreendendo as categorias de médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionistas, biólogos, terapeutas ocupacionais, biomédicos, farmacêuticos, bioquímicos, odontólogos, fonoaudiólogos, assistentes sociais, psicólogo, profissionais de educação física e seus respectivos técnicos e auxiliares, além dos trabalhadores de apoio aos serviços de saúde como recepcionistas, seguranças, pessoal da higienização, cozinheiros e auxiliares, motoristas de ambulâncias, bem como os funcionários do sistema funerário que tenham contato com cadáveres potencialmente contaminados”, conforme divulgado em notícia no site da Prefeitura. Até a última quarta-feira (27), os canais de recebimento de denúncias do MPRN registraram mais de 300 denúncias de “fura-fila” nos locais de vacinação contra a Covid-19 no RN. Todas as informações prestadas pela população estão sendo analisadas individualmente para se investigar se houve o cometimento de crime ou ato de improbidade. O MPRN tomará todas as medidas judiciais e extrajudiciais possíveis para coibir ou, no caso de já ter sido cometida alguma fraude, responsabilizar os agentes públicos envolvidos e os beneficiários. De acordo com a Secretaria Estadual de saúde Pública (Sesap), a primeira fase da vacinação no Estado contempla apenas profissionais de saúde que estejam na linha de frente de combate ao coronavírus e ainda idosos residentes em instituições de longa permanência. Alguns planos municipais autorizam a vacinação de outros grupos de pessoas, o que está sendo observado de forma individualizada pelo MPRN. O MPRN disponibiliza o Disque Denúncia 127 para o recebimento de informações sobre crimes em geral. O cidadão pode ligar gratuitamente para o número. A identidade da fonte será preservada. Além do telefone, as denúncias também podem ser encaminhadas por WhatsApp para o número (84) 98863-4585 ou e-mail para [email protected]. Os cidadãos podem prestar informações em geral que possam levar à prisão de criminosos, denunciar atos de corrupção e crimes de qualquer natureza. No WhatsApp, são aceitos textos, fotos, áudios e vídeos que possam comprovar as informações oferecidas.Detalhes

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode sair do site, caso não concorde. Ok Saiba mais