Adepol entrega diagnóstico da Segurança do RN para candidatos ao Governo

A Associação dos Delegados da Polícia Civil (Adepol) entregou aos candidatos ao Governo do Rio Grande do Norte os resultados de uma pesquisa de opinião pública sobre a atual situação da Segurança Pública no Estado. A solenidade aconteceu na manhã desta terça-feira, 11, no auditório da Assembleia Legislativa.

A pesquisa, intitulada “Eu decido a Segurança Pública do RN”, ouviu a opinião de mais de 8 mil potiguares com relação à sensação de insegurança, quais crimes causam mais preocupação e qual a sugestão de solução desses problemas. A consulta também registrou mais de 3 mil propostas de intervenção para a solução desses problemas.

Os dados foram apresentados em um documento que dividiu a opinião dos entrevistados por mesorregião. Segundo Paoulla Maués, presidente da Associação, de maneira geral, as principais reivindicações são voltadas para a reestruturação das polícias, investimento em tecnologia policial e maior rigidez na legislação penal.

“Ouvir a população é o ponto de partida para que possam ser desenvolvidas dinâmicas sociais e criminais para que esses problemas, respeitando as especificidades de cada região, sejam resolvidos”, explicou a presidente. “O que nós esperamos agora é o comprometimento político do próximo gestor com a vida e com o patrimônio das pessoas”, completou.

Para Fátima Bezerra (PT), que lidera as pesquisas de intenção de voto, para que a crise na segurança pública seja resolvida, é preciso, além de reestruturar o sistema penitenciário do Estado, apostar em medidas preventivas. “Vamos investir em educação e no ensino em tempo integral. Nossos jovens precisam estar nas escolas e não presos”, afirmou.

Brenno Queiroga, do Solidariedade, também sugere medidas educativas preventivas e reafirma a necessidade de investimento na segurança pública. “Um outro ponto que deve ser abordado é a questão da impunidade, que pode ser reduzida com a informatização das polícias e com a valorização desses profissionais”, completa.

Já para Carlos Alberto, candidato pelo PSOL, é preciso investir em trabalhos de ressocialização. “Temos um sistema prisional falho, presos que não trabalham e acabam reincidindo no crime. Isso precisa mudar. Além disso, é necessário recompor o quadro efetivo da polícia e melhorar as condições de trabalho desses profissionais”, completou o candidato.

Dário Barbosa, do PSTU, e Heró Bezerra, do PRTB, também estiveram presentes.

A pesquisa foi elaborada pela Adepol em parceria com a Incubadora de Processos Acadêmicos, Científicos e Tecnológicos Aplicados da Escola de Ciência e Tecnologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Carlos Eduardo Alves (PDT), Robinson Faria (PSD) e Freitas Jr. (Rede) não compareceram à solenidade.

Deixe um comentário

você pode gostar também Mais do autor