Pastora Damares Alves “está na frente” para Ministério dos Direitos Humanos

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) disse que a advogada e pastora Damares Alves “está na frente” para chefiar o novo Ministério de Direitos Humanos, Família e Direitos da Mulher. A declaração foi dada após o deputado participar de uma formatura de cadetes aspirantes a oficial do Exército, na Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), em Resende, sul fluminense.

Bolsonaro contou que o assunto foi conversado “muito por alto” com ela. “Não foi prometido nada, mas seria do meu entender uma pessoa extremamente qualificada para desempenhar a função”, afirmou.

A advogada trabalha como assessora lotada no gabinete do senador e candidato derrotado à reeleição Magno Malta (PR-ES), um dos políticos mais próximos de Bolsonaro na campanha e que esperava ter sido nomeado para o cargo.

O presidente eleito disse que Malta é “uma boa pessoa” e que pode se habilitar para a função, mas afirmou que quem está na frente é Damares Alves. “Tenho certeza que o Magno Malta saberá colaborar e muito com o Brasil, independentemente de ser ministro ou não”, ponderou.

Bolsonaro informou também que o nome do engenheiro agrônomo Xico Graziano não está descartado para o Ministério do Meio Ambiente. “Coloquei para ele os problemas que temos e ele é extremamente favorável a atender o que eu propus a ele”, afirmou, citando como exemplo o grande volume, segundo ele, de multas aplicadas pelo Ibama. “O homem do campo não pode ter gente no governo maltratando quem produz”, declarou.

Movimentos e associações lançaram na noite desta sexta, 30, uma nota de apoio ao nome da advogada Damares Alves para a pasta dos Direitos Humanos.

Segue a nota na íntegra:

Nota de apoio a Indicação de Damares Alves para o Ministério dos Direitos Humanos

O mundo experimenta, em 2018, um importante momento no campo da defesa da dignidade da pessoa humana, da reconstrução dos direitos humanos, no combate à  barbárie e a banalidade do mal, no restabelecimento da esperança. Parte desse momento é promovido pelas comemorações dos 100 anos do fim da Primeira Guerra Mundial e dos 70 anos da promulgação, pela Assembléia das Nações Unidas, da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

O povo brasileiro, na última eleição, de outubro de 2018, rejeitou um partido político que segue uma ideologia autoritária, contrária a dignidade da vida humana e mergulhado em profundas denúncias de corrupção.

Além disso, o povo brasileiro deixou claro que deseja renovação na política, garantia dos direitos humanos fundamentais – como acesso a água potável, saneamento básico, saúde, emprego e segurança –, acesso da população aos bens culturais construídos, ao longo dos séculos, pela humanidade, maior diálogo entre a sociedade e o poder público, renovação da esperança e proteção da vida humana que inicia-se na concepção e só poderá ser extinta por meio da morte natural.

Nesse contexto, as lideranças e movimentos em defesa da vida, movimentos de promoção, defesa da dignidade da pessoa humana e da reconstrução dos direitos humanos no Brasil, APOIAM e CONCORDAM com o nome da advogada Damares Alves para o cargo de Ministra dos Direitos Humanos.

Salienta-se que Damares Alves é mulher, advogada, mãe, tem larga experiência por mais de 20 anos na defesa de populações tradicionais historicamente esquecidas, índios, ciganos, como atua na defesa da vida e da promoção da dignidade da pessoa humana, na defesa da infância, contra a pedofilia, infanticídio, suicídio, a automutilação e o consumo e a possibilidade de liberação das drogas, que tanto tem ceifado a vida dos nossos jovens no Brasil e destruído famílias inteiras.

No contexto dos acontecimentos nacionais e internacionais do ano de 2018, Damares Alves representa a proteção da vida humana, da concepção a morte natural, a garantia dos direitos humanos fundamentais, a defesa da dignidade humana, a reconstrução dos direitos humanos, o espírito de renascimento da esperança e da fraternidade que caracterizam a sociedade que desejamos ter.

Assinam essa nota as seguintes lideranças e movimentos,

Rede Nacional em Defesa da Vida

Geração Pró-Vida Brasil

Movimento Brasil pela Vida – SP

Instituto Filipe Camarão

Deixe um comentário

você pode gostar também Mais do autor