Depois de mais de 30 anos no PSDB, Geraldo Alckmin anuncia filiação ao PSB

- publicidade -

Cotado para ser vice na chapa com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para a Presidência da República, o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin anunciou sua filiação ao Partido Socialista Brasileiro (PSB), nesta sexta-feira 18. A aliança vem sendo conversada desde o ano passado e o ingresso de Alckmin é esperado para a próxima quarta-feira 23. A notícia foi bem recebida pelos petistas potiguares, a começar pela governadora Fátima Bezerra (PT), conforme informou o chefe da Casa Civil, Raimundo Alves.Advertisementabout:blank

“A governadora recepciona o nome do ex-governador Geraldo Alckmin na chapa com muita concordância. E considera o caminho correto na construção de um governo para 2023, com a tarefa de redemocratizar o país e voltarmos a ter um governo na União verdadeiramente republicano”, afirmou Raimundo, que é o principal articulador político do governo do Estado e de Fátima.

O chefe da Casa Civil afirmou que o trabalho de formação da chapa majoritária presidencial é feito pelo ex-presidente Lula e a atual presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, mas que, “pelas informações que temos, isso já está acertado”, sobre a entrada de Alckmin na construção do caminho para o PT retornar à Presidência.

E garantiu que a filiação do ex-governador paulista não trará nenhum tipo de implicação direta para o Rio Grande do Norte. “O PSB sempre foi nosso aliado”, disse. O novo partido de Alckmin é presidido no Estado pelo deputado federal Rafael Motta, que felicitou o novo colega de sigla. “Seja bem-vindo, Geraldo Alckmin. Vamos construir juntos um Brasil melhor para todos”.

TEMPO DE MUDANÇA. Após mais de três décadas no PSDB, Alckmin saiu da legenda no segundo semestre de 2021, quando começaram as negociações com o PT, que, conforme informações da CNN Brasil, se prepara para lançar a chapa Lula-Alckmin nas próximas semanas. A expectativa é que ele aproxime o ex-presidente petista do público católico conservador, uma vez que já desempenha papel parecido dentro do segmento evangélico, dominado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL).

“O tempo da mudança chegou! Depois de conversar muito e ouvir muito eu decidi caminhar com o Partido Socialista Brasileiro – PSB. O momento exige grandeza política, espírito público e união. A política precisa enxergar as pessoas. Não vamos deixar ninguém para trás. Nosso trabalho para ajudar a construir um país mais justo e pronto para o enfrentamento dos desafios que estão postos está só começando”, afirmou. 

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Assumiremos que você está ok com isso, mas você pode sair do site, caso não concorde. Ok Saiba mais