Senado engata marcha lenta e barra pauta prioritária de Temer até eleições

Se depender do ritmo de votações do Senado até as eleições de outubro, o presidente Michel Temer (MDB) pode dar adeus à sua pauta de prioridades no Congresso em 2018. Mesmo que a Câmara acelere suas votações de plenário, a chamada “Casa revisora” vai aproveitar o ano eleitoral para barrar os projetos de interesse do governo e, em marcha lenta, só promoverá mais duas semanas de deliberação – uma no final de agosto e outra depois do feriado de 7 de Setembro, em meados do próximo mês.

O próprio presidente do Senado – e do Congresso, que periodicamente reúne deputados e senadores para analisar vetos presidenciais, por exemplo – já pôs água no chope de Temer ao falar à imprensa no início da noite desta terça-feira (8). Para Eunício Oliveira (MDB-CE), há senadores reclamando do acúmulo de matérias à espera de exame em plenário, muitas delas emperradas justamente por serem polêmicas.

“Se não tiver requerimento de urgência [para votar proposições controversas], nós vamos aproveitar para votar projetos na área de segurança, que são menos polêmicos. Vamos votar matérias em relação à questão da saúde, da educação. Matérias que avancem o Brasil, mas que não sejam polêmicas, para não se criar mais clima de atrito dentro do Congresso Nacional”, vaticinou Eunício, eleitor declarado do ex-presidente Lula (PT).

Deixe um comentário

você pode gostar também Mais do autor