Projeto de Luiz Almir que obriga prefeitura a fornecer medicamento de combate ao Calazar é sancionado

Após anos de pesquisa, a indústria farmacêutica lançou o primeiro medicamento aprovado para a leishmaniose visceral canina no país. Muitos donos de cães quando tinham seus animais diagnosticados com leishmaniose apenas tinham a decisão de realizar a eutanásia. O medicamento, chamado de Multeforan, é o medicamento considerado hoje, sendo a única solução para o controle da leishmaniose quando o assunto é relacionado aos animais domésticos.

Pensando nisso, o vereador de Natal, Luiz Almir (Avante), elaborou um projeto de lei que obriga a prefeitura a fornecer gratuitamente medicamentos para tratamento da leishmaniose visceral canina (calazar), na cidade. “Este medicamento proporciona visível melhora clínica e uma grande diminuição na carga parasitária presente no sangue do bichinho. Porém, o medicamento é de alto custo, custando em torno de R$ 1.800,00, o que torna muito difícil o acesso dos donos a medicação”, disse o vereador.

Ainda segundo ele, com a sanção do projeto a expectativa é que diminua ainda mais os números de animais com esta doença. “Só quem cuida de um animal sabe o quanto este tratamento é fundamental. Além disso, proporciona mais saúde para todos”, concluiu o vereador.

Deixe um comentário

você pode gostar também Mais do autor